Enseignement Innovateur

Ensino inovador

Descubra um novo método de ensino desenvolvido a partir das interações lógicas da língua. Essa abordagem baseia-se na necessidade de atender às perguntas dos estudantes de maneira simples e clara a fim de acelerar o processo de aquisição do idioma. A didática logico-estrutural é fruto de uma pesquisa de campo e constitui um poderoso aliado do ensino do francês.

En toute logique !

Tudo lógico!

Aprender um idioma de forma lógica, é possível?

Os idiomas não são concebidos a partir de regras gramaticais. Foram elaborados a partir da necessidade de descrever uma ação em um contexto particular.
Todo idioma é constituído de uma matriz que depende de regras para funcionar. A didática logico-estrutural foca a aprendizagem no funcionamento da matriz linguística e não em um conjunto de regras gramaticais.

La simplicité est la sophistication suprême

“A simplicidade é o último grau da sofisticação”
– Leonardo da Vinci

Regras simples e aplicáveis a todas as situações permitem assimilar a língua com um domínio perfeito de seu funcionamento e uma adaptabilidade aos mais variados contextos. Não se trata de repetir frases e buscar adaptá-las a um outro contexto, mas construir seus próprios argumentos em função da necessidade. Essas regras simples são chamadas conceitos-chaves.

La grammaire

E a gramática?

A linguagem é uma transcrição de ações, da realidade ou de ideias em palavras organizadas explicitamente para serem transmitidas. Os humanos buscaram um jeito de diferenciar cada ação de uma maneira específica e de codificá-la utilizando o que é universal no raciocino humano : a lógica.

A gramática é apenas uma classificação posterior visando explicar o funcionamento da língua, a criação de padrões e exceções com muitas regras a memorizar. Por consequência, se nós entendermos a essência da lógica no idioma, nós podemos utilizar a gramática apenas como referência, recorrendo de vez em quando.

A aplicação dos conceitos-chaves da didática logico-estrutural às diferentes construções permite reconstituir o conjunto das regras gramaticais.

É assim!

Se você gosta de entender e detesta ouvir “é assim !”, a didática logico-estrutural é desenhada para você! Sempre haverá exceções mas assim que possível estas serão explicadas!

Entender para aprender no lugar de aceitar para aprender!

O francês é repleto de exceções, como se diz ironicamente : « não há exceção a regra segunda a qual cada regra tem exceção»
O exemplo mais significativo é a escolha do verbo auxiliar no passé composé. A gramática não oferece nenhuma explicação, apenas uma lista de verbos que mal funciona.
Como é possível que as crianças francesas de 5 anos sejam capazes de escolher corretamente o verbo auxiliar sem nenhuma lista de verbos e os estudantes de francês tenham que aprender através de uma lista? Obviamente, existe uma lógica por trás disso.

Você realmente deseja decorar regras gramaticais e exceções?

Não? Junta-se a L’Alternative e desvende a língua francesa conosco.

******

Nos primeiros estágios do aprendizado, a didática logico-estrutural estabelece o alicerce da comunicação a partir da construção de frases simples e pertinentes. O aspeto estrutural é priorizado, pois conhecer bem a estrutura permite em seguida reempregar corretamente o vocabulário no lugar de conhecer vocabulário sem ser capaz de construir uma frase coerente.

Progressivamente, o aluno é conduzido a uma comunicação cada vez mais rica e complexa seguindo uma construção da linguagem e da argumentação. O estudante é convidado a refletir a fim de entender o funcionamento da língua ao longo do percurso inteiro. A pronuncia e sua correlação com a grafia são desenvolvidas de modo gradativo durante a aprendizagem. Assim o aluno aprende a pronunciar corretamente e a aprimorar sua escrita.
A assimilação do vocabulário é progressiva em função das necessidades do nível.

A didática logico-estrutural é dividida em 6 etapas essenciais :

1 – Desenvolver BASE PARA COMUNICAÇÃO

Objetivo : criar um núcleo de conversação, quer dizer saber formular frases simples e claras, entender as necessidades de comunicação essenciais e combinar elementos simples para criar ideias mais complexas.

2 – Descrever o mundo

Objetivo : descrever eventos presentes, passados e futuros assim como utilizar laços para evitar repetições inúteis.

3 – ConeCtar os eventos

Objetivo : ligar as ideias utilizando as relações lógicas de causa, consequência e simultaneidade.

4 – Imaginar o mundo

Objetivo : fazer hipóteses sobre o presente, o futuro e o passado, fazer previsões, imaginar mudanças no passado e dimensões irreais.

5 – Expressar opiniões e sentimentos sobre o mundo

Objetivo : analisar, destacar contrastes, nuanças e oposições, propor soluções, julgar e expressar sentimentos.

6 – Harmonizar a argumentação

Objetivo : empregar todos os conteúdos estudados agrupando-os em um conjunto coerente, organizado e ponderado.

Da narrativa à argumentação!

Campus virtuel

As capacidades narrativas e descritivas

Nas três primeiras etapas, a narração e a descrição estão no centro do aprendizado. O aluno é guiado a fim de desenvolver essas competências.

Contar eventos envolve o domínio de numerosos conteúdos essenciais a uma expressão clara e objetiva tais como construções de base, emprego dos tempos apropriados, palavras de conexão temporal, pronomes a fim de evitar repetições inúteis, etc…

Como sempre, a assimilação é progressiva e segundo o ritmo de cada um!

Esse estudo corresponde aos níveis A1 e A2.

O discurso argumentativo

A partir da etapa 4, as capacidades argumentativas entram no jogo. É hora de elaborar hipóteses, de expressar argumentos contrastantes, de defender sua opinião e de convencer seus interlocutores.

A construção do discurso argumentativo é um fator de sucesso tanto nos estudos quanto na vida privada e profissional, permitindo a cada um expressar suas opiniões, suas ideias e seus sentimentos de maneira ordenada, estruturada e ponderada a fim de ser facilmente entendido e de ser convincente.

Este nível de estudo prepara aos exames B1 e B2.